quarta-feira, 6 de junho de 2018

Kojak do Pirulito - Kojak do Forró (Kojak do Forró)

S.O.S, vê se de mim você não esquece
S.O.S, vê se de mim você tem dó
S.O.S, eu estou aqui presente
Eu gosto de forrobodó, eu pego a cobra e dou um nó
Sou o Kojak do forró

Chegou um cabra doido dentro do salão
E ficou de cochicho com a mulher do João
Sujeito presepeiro, cabeça de jerimum
Disse que tirava onda com a mulher de qualquer um
Que não tem medo do Kojak, com ele é no grito
Que o Kojak do forró, é um vendedor de pirulito

(Olha que eu grito)

Olha o vendedor de pirulito
Olha o vendedor de pirulito
Olha o vendedor de pirulito
O Kojak do forró é vendedor de pirulito

Não me segura, me solta, me deixe
E agora a jiripoca vai piar
Vou mostrar pra esse cabra que sou justiceiro
Por isso eles me chamam de Kojak Brasileiro
Não gosto de presepada, nem tampouco de grito
Vou mostrar pra esse sujeito que é
O vendedor de pirulito


Sete meninas - Benício Guimarães (Benício Guimarães)

Meu coração ta pegando fogo
Ta pegando fogo, ta incendiando
Meu coração ta pegando fogo
Eu tenho sete meninas, sete flores perfumando

Bem pertinho da Maria, tão longe da Isabel
Me abraço com Zefinha, me lembro da Rachel
Dou um beijo na Camila, sonhando com a Juliana
Eu tô gamado mesmo é pela Mariana

São sete meninas, são sete gotas de veneno
Sete promessas de amor, sete corações sofrendo
Sete noites sem dormir, sete mulher me querendo
Sete dias da semana, sete velas que acendo

Ai ai ai ai
Meu coração tá em jogo, não sabe o que faz
Queria ficar com sete, mas está demais
Eu tenho sete meninas, cada uma mais bacana
Eu estou gamado mesmo é pela Mariana

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Meu Pernambuco - Zenilton (Namoro No Escuro)

Vô voltar pro meu pernambuquim

Vou voltar pra meu pernambuco
Aqui vivo maluco não aguento não

Saudade aperta o meu peito
Não posso viver nessa situação
Lembrando a praia do pina
De boa viagem, torre e dois irmãos

Olinda, barra e areia
Aonde eu deixei o meu coração

Eu vou voltar
Não posso viver no sul
Lembrando do meu Recife
Do frevo, do coco e do maracatu

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Sem saída - Dominguinhos (Programa Ensaio Tv Cultura - 1990)

Eu nem queria pensar em você
Mas não consigo evitar
Você só faz prometer, prometer
E eu já cansei de esperar
Teu futuro não suporta
Minha paixão
Teu passado é meu amor
Fora de hora

Faça comigo o que você quiser
Que eu faço tudo por puro prazer
Não consigo te dizer que não

Quantas vezes o amor me deixou sem saída
Quantas mil tentativas de um dia mudar
Esquecer nosso caminho
Me perder noutros carinhos
Mas agora nem dá tempo de pensar
Faça comigo o que você quiser
Que eu faço tudo de amor com você
Pouco importa o dia de amanhã

Gostoso demais - Dominguinhos (Gostoso demais)

Tô com saudade de tu, meu desejo
Tô com saudade do beijo e do mel
Do teu olhar carinhoso
Do teu abraço gostoso
De passear no teu céu

É tão difícil ficar sem você
O teu amor é gostoso demais
Teu cheiro me dá prazer
Quando estou com você
Estou nos braços da paz

Pensamento viaja
E vai buscar meu bem-querer
Não dá pra ser feliz assim
Tem dó de mim
O que eu posso fazer

De volta pro aconchego - Dominguinhos (Veredas Nordestina)

Estou de volta pro meu aconchego
Trazendo na mala bastante saudade
Querendo um sorriso sincero
Um abraço para aliviar meu cansaço
E toda essa minha vontade

Que bom poder estar contigo de novo
Roçando teu corpo e beijando você
Pra mim tu és a estrela mais linda
Teus olhos me prendem, fascinam
A paz que eu gosto de ter.

É duro ficar sem você vez em quando,
Parece que falta um pedaço de mim.
Me alegro na hora de regressar,
Parece que vou mergulhar na felicidade sem fim

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Fornalha - Gordurinha (Gordurinha... Um espetáculo)

A minha dor é tão grande
Não dá pra cantar num baião
Quem não acredita, eu já sei
Que não sabe o que é Sertão

Se eu pudesse fechar a comporta do meu peito
Não havia um açude maior que o meu coração
Que cachoeira, que queda d'água
O meu pranto nasce da mágoa
E despeja nas águas do mar da ilusão

Eu não creio que o céu tá vazio
E Deus não escute
Minha prece rezada com fome, joelho no chão
O sol é quente, a dor espalha
E a terra agora é fornalha
Onde o ódio trabalha plantando aflição

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Naquele São João - Trio Nordestino (É forró que vamos ter)

Eu fiquei tão triste, eu fiquei tão triste
Naquele São João
Porque você não veio, você não veio
Alegrar meu coração
Fiz uma fogueira, e a noite inteira
Esperei você
De amor perdido, coração ferido, por meu bem querer

Agora minha tristeza, mandei embora
Você chegou bem na hora, meu amor chegou
Vamos simbora, confirmar com Santo Antonio
Acertar o matrimonio que São João mandou.

A força do amor - Assisão (Cigarra de verão)

Rostinho perfumado
Olhinhos incrementados
O corpinho transpirando
E no peito muito amor

É disso que homem gosta
É isso que o homem quer
Mulher com muito amor e muito apreço
Que tenha um jeitinho de mulher

Mas um grande desgosto
É o que me consome
Descobri que o amor
É mais forte que o homem

O homem afina a viola no seu tom
E tem razão que a mulher é bicho bom
Pois a danada nos seus olhos tem um imã
E no seu corpo tem um clima melhor que filé mignon

Mulher é muito bom
Duas é melhor ainda
Três mulher é uma pedida
Quatro só com vitamina
Cinco pra lá de bom
Seis é par e dá um cacho
Mas o cabra quando é macho
Fica com as sete meninas

Caruaru do passado - Azulão (Azulão)

Caruaru, do meu Bom Jesus do Monte
Pra quem vive tão distante por conta do destino
Ai Caruaru, do meu tempo de menino

Ainda me lembro das festanças da Matriz
Das noitadas de retreta e do velho chafariz
Dos roletes de cana-caiana, cocada de coco, amendoim
Da burrica, das bolas de gude
Dos banhos de açude que não saem de mim

Da rua Preta o Farrapo, Lagoa da Porta e o Vassoural
Das noites de são joão, quadrilhas, natal e carnaval
Caruaru, das serestas e das canções, da rua 10 de novembro
E de tantas tradições.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Forró em Campina - Jackson do Pandeiro (O dono do forró)

Cantando meu forró vem à lembrança
O meu tempo de criança que me faz chorar.

Ó linda flor, linda morena
Campina Grande, minha Borborema.

Me lembro de Maria Pororoca
De Josefa Triburtino, e de Carminha Vilar.

Bodocongó, Alto Branco e Zé Pinheiro
Aprendi tocar pandeiro nos forrós de lá.

Meu cariri - Ademilde Fonseca (78 RPM - Agosto de 1953)

No meu Cariri
Quando a chuva não vem
Não fica lá ninguém
Somente Deus ajuda
Se não vier do céu
Chuva que nos acuda
Macambira morre
Xique-xique seca
Juriti se muda

Se meu Deus der um jeito
De chover todo ano
Se acaba desengano
O meu viver lá é certo
No meu Cariri
Pode se ver de perto
Tanta boniteza
Pois a natureza
É um paraíso aberto

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Casinha branca - Raimundo Nonato (Pedaço de mulher)

Minha casinha branca
Onde foi minha morada
Hoje se encontra sozinha
Minha casinha abandonada

Minha casinha é feita no tabuleiro
Rebocada em água e cal
E a chuva nunca tirou

Não é brinquedo
Faz uma casa em três dias
Construção do Mestre Zé
Que minha casa levantou

Minha casinha branca
Onde foi minha morada
Hoje se encontra sozinha
Casinha abandonada

Saudade de Campina Grande - Toinho do Rojão (Não quero quiabo crú)

Quando eu falo em Campina Grande
Chega me foge o sangue
Dá vontade de chorar
Tenho desejo de rever a minha terra
Pra olhar naquela serra o lindo luar

Campina Grande tem progresso e tem beleza
Parece que a natureza te escolheu pra morar lá
Você precisa conhecer de perto
A Cariri a Borborema e a Caturité
Ver o meu time dar um show de futebol
E depois dançar um forró lá no Catolé

Aí campina
Quando me lembro traz recordação
Eu te dedico meu amor e minha vida
Campina Grande querida do meu coração

Minha ex-mulher - Abdias (Forró ao vivo)

Coitada, da mulher que ja foi minha
Hoje vive tao sozinha
Perambulando nas ruas

Ninguém lhe ama
Ninguem lhe quer
E como sofre minha ex-mulher

Nao acreditou em seu marido
Perdeu o lar
Levou castigo
Deus vê tudo o que se passa neste mundo
E o sofrimento desta mulher é profundo

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Linda Maranhense - João Gonçalves (João Gonçalves)

Minha linda maranhense
Por favor nem pense
Que eu não gosto de você
Que contigo não casei,
Não chegou a nossa vez
Ninguém faz nada sem poder
Seu amor é tão profundo
Que se eu fosse um segundo
Presidente da nação
Não te dava só um lar
Dava o estado inteiro
Com a maior satisfação

Eu te dava o maranhão, morena
Eu te dava o maranhão,
Não te dava só um lar
Dava o estado inteiro
Se eu tivesse condição

Eu só tenho mesmo a vida
Nem sequer uma patativa
Eu não posso sustentar
Peço que me considere
Por favor meu bem espere
Até as coisas melhorar
Já te falei a verdade
Demonstre sua amizade
Usando compreensão
Eu não só te dava um lar
Te dava o estado inteiro
Se eu tivesse condição

terça-feira, 15 de maio de 2018

Flor do Campo - Messias Holanda (Cara de durão)

Até um dia companheiro de jornada
Eu vou embora vou cumprir o meu destino
Pois minha vida sempre foi um céu aberto
Correndo o mundo desde o tempo de menino

Se alguém dia a flor do campo perguntar
Pra onde fui, com quem moro ou onde estou
Diga pra ela que procuro um novo mundo
Que tenha paz, carinho e amor

Adeus flor do campo
Minha açucena, minha bonita
Orquídea branca que me fascina
Dama da noite, rosa menina

Vida de Cangaceiro - Messias Holanda (Cara de Durão)

Vida de cangaceiro é assim
Queira ou não queira tem que ser ruim

Lutamos pra não perder uma vida que não presta
Matamos para viver esse pouquinho que resta
Sangrar quem quer nos sangrar
Para nós é uma festa

Pois da terra nasce o ódio
Que abrange o mundo inteiro
Procurei um bom caminho
Só encontrei desespero
Fui obrigado a abraçar
A vida de cangaceiro

Não posso pisar em falso
Caminho sem paradeiro
É o mundo contra nós
Chuva, sol e nevoeiro
Tendo a morte a cada passo
Na mira de um cangaceiro

E o tempo que passou
Não posso fazer voltar
Não queria ser quem sou
Já que estou deixa ficar
Agora atiro o primeiro
Pra depois me apresentar

Ilha de marajó - Zito Borborema (Sabiá cantador)

Recebi um telegrama
Do meu velho pai
Me pedindo pra voltar
O meu pai é fazendeiro
Na ilha do marajó
No estado do pará

Falaram para o meu pai
Que aqui na guanabara
Eu vivo mal
E ando perambulando
Pela praça da central
E moro com marieta
Em um barraco abandonado
Lá em marechal
Meu pai ficou preocupado
Não dorme mais sossegado
Só pensando em mim
E as palavras que vem
Em seu telegrama
São mais ou menos assim

Volte meu filho pra negociar na venda
Tomar conta da fazendo, do gado e dos siringais
Não sofra mais e por favor veja o que faz
Só é feliz o filho que volta a casa dos pais

Campina de outrora - João Silva (Trambique da boutique)

Eu vou falar das coisas boas que passaram
Em Campina Grande que ficou pra trás
Do forró de Adelma e de Dona Mulata
Do pula varanda que não volta nunca mais
Ponto Central e do bar Petrópolis
Do tempo da Burra do Café São Braz

Ponto certo, ponto chic e macaíba
Oh, Campina Grande que recordação
Ponto certo, ponto chic e macaíba
Coisas do passado que me deram inspiração

Do Doutor Telha, Jatay e Hilton Mota
Do velho Gaúcho e Natécio Godoi
Do bate-papo de Cristino Pimentel
Rosil Cavalcante recordar ai como dói
De Zé Bezerra de Raul Pequeno
De Hibraim Ramade e Ronaldo Eloi

E hoje em dia pra matar minha saudade
Dou uma voltinha lá no calçadão
Encontro algum deles de cabeça branca
Com um pacotinho de amendoim na mão
Cantando marra e dizendo lorotas
Vivendo como eu de recordação